Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de dezembro de 2016. Atualizado às 16h43.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara dos Deputados

Alterada em 07/12 às 17h45min

Câmara conclui votação de MP que permite importação de papel-moeda

O plenário da Câmara dos Deputados concluiu a votação da Medida Provisória 745, que autoriza o Banco Central a comprar papel-moeda no exterior. Nenhuma das sugestões de modificação do texto principal foi aprovada e a MP segue agora para o Senado.
Uma das emendas votadas sugeria uma alteração sensível na MP e propunha que o Banco Central só poderia adquirir papel-moeda e moeda metálica fabricados fora do Brasil se fosse constatada incapacidade de atendimento da demanda nacional pela Casa da Moeda. A emenda foi derrotada por 188 votos contra e 119 à favor.
Durante a votação, alguns parlamentares sustentaram no plenário que a exclusividade da Casa da Moeda para a produção interna era uma questão de segurança nacional. Os deputados se revezaram em discursos na tribuna acusando o governo de já ter uma empresa americana pronta para atender à demanda brasileira.
"Já deve ter alguém levando vantagem nessa parada", disse o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP
"É óbvio que aqui tem uma jogada, tem um trambique. Isso faz parte da cara deste governo. Este governo é o governo de entrega", comentou o líder do PSOL, Ivan Valente (SP).
O líder do DEM, Pauderney Avelino (AM), rebateu os discursos. "Isso não é coisa do outro mundo. Os EUA compram papel-moeda de uma empresa sueca", disse.
Outra emenda rejeitada pelo plenário foi a que extinguia o artigo segundo da MP, que versava sobre a situação de emergência para a produção de papel-moeda no exterior. A emenda foi proposta pelo PSOL, que viu no texto a explícita dispensa de licitação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia