Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de dezembro de 2016. Atualizado às 00h33.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Editorial

Notícia da edição impressa de 08/12/2016. Alterada em 08/12 às 01h29min

Educação nacional precisa de melhor qualidade

O ano de 2016 está terminando, mas as notícias desalentadoras não acabam. É que o Brasil teve um desempenho ruim na área educacional. Levantamento feito pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa, na sigla em inglês) mostrou que, em 2015, o País regrediu em termos de leitura, ciências e matemática.
Participaram da edição 540 mil estudantes que, por amostragem, representaram 29 milhões de alunos dos países pesquisados. A avaliação incluiu os 35 membros da OCDE, além de economias parceiras, total de 72 países. O fato é que o Brasil ficou na 63ª posição entre as 70 nações avaliadas.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia