Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016. Atualizado às 13h54.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

ESTADOS UNIDOS

Alterada em 28/12 às 14h57min

Trump acusa Obama de criar empecilhos 'inflamatórios' na transição

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou Barack Obama nesta quarta-feira de criar empecilhos "inflamatórios" na transição do governo e de tratar Israel com "total desdém".
Embora Trump não tenha detalhado o teor de suas críticas em suas mensagens no Twitter, o presidente eleito deixou claro não ter gostado da declaração de Obama, que afirmou há poucos dias que teria ganhado a eleição caso tivesse concorrido. O tom fortemente respeitoso do empresário em relação ao atual ocupante da Casa Branca, que predominava desde novembro, evaporou em seus últimos tuítes.
"Estou fazendo meu melhor para minimizar as muitas declarações inflamatórias e empecilhos do presidente Obama", escreveu Trump. "Achei que esta fosse ser uma transição serena - claro que não."
Trump também criticou a decisão do governo Obama de se abster na votação do Conselho de Segurança das Nações Unidas que condenou a construção de assentamentos por parte de Israel.
"Não podemos continuar deixando que Israel seja tratado com total desdém e desrespeito", ele disse. "Eles costumavam ser grandes amigos dos EUA... Não mais. O começo do fim foi o terrível acordo com o Irã, e agora isso!", continuou. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia