Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de dezembro de 2016. Atualizado às 11h11.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Terrorismo

23/12/2016 - 12h10min. Alterada em 23/12 às 12h13min

Sequestradores libertam primeiros reféns de avião líbio desviado para Malta

Airbus A320 da Afriqiyah Airways, realizava um voo comercial na Líbia para Malta

Airbus A320 da Afriqiyah Airways, realizava um voo comercial na Líbia para Malta


Matthew Mirabelli/AFP/JC
Alguns passageiros e tripulantes do avião da Líbia, sequestrado na manhã desta sexta-feira (23), já foram liberados. O Airbus A320 da Afriqiyah Airways, realizava um voo comercial na Líbia para Malta. Os dois sequestradores ameaçavam explodir a aeronave com granadas de mão, segundo autoridades locais e a imprensa estatal. A autoridade aeroportuária de Malta disse que equipes de emergência foram enviadas ao local após uma "interferência ilegal" na pista do aeroporto.
Os motores do avião ainda estão ligados na pista, após a aeronave pousar às 11h32min (hora local). A televisão estatal TVM disse que os dois sequestradores a bordo tinham granadas e ameaçavam detoná-las. Todos os voos para o Aeroporto Internacional de Malta foram desviados.
Autoridades do aeroporto disseram que a aeronave partiu de Sabha e tinha como destino Trípoli. Ele tinha 118 pessoas a bordo. O premiê de Malta, Joseph Muskat, afirmou que havia 111 passageiros a bordo, 82 homens, 28 mulheres e uma criança.
Um comunicado do governo de Malta disse que o Comitê Nacional de Segurança coordena a resposta oficial ao caso.
Com informações da Agência Estado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia