Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de dezembro de 2016. Atualizado às 12h10.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

rússia

Alterada em 16/12 às 13h12min

Rússia diz que áreas mantidas por rebeldes foram ''liberadas'' em Alepo

O Ministério da Defesa da Rússia decretou a "liberação" das últimas áreas controladas por rebeldes em Alepo, na Síria. Em comunicado, os militares russos disseram que as forças sírias "concluíram a liberação dos bairros do leste de Alepo controlados pelos militantes".
As forças do governo sírio, acrescentou o comunicado, estavam "eliminando bolsões isolados de resistência radical".
Em outro comunicado divulgado nesta sexta-feira, os militares russos disseram que um total de 9.500 pessoas haviam sido retiradas do último enclave rebelde na cidade e que a operação para retirada de insurgentes e as famílias havia sido concluída. A nota dizia que todos que desejavam deixar os distritos no leste da cidade ao longo do último dia já partiram.
A televisão estatal russa mostrou imagens aéreas nesta sexta-feira de bairros duramente atingidos de Alepo com o título "liberação" em negrito. O governo de Moscou é aliado do regime do presidente Bashar al-Assad.
Mais cedo, foi informado que a retirada de pessoas de Alepo havia sido suspensa, em meio a novos confrontos na área. Na quinta-feira, líderes da União Europeia pediram um cessar-fogo imediato na região de Alepo e o estabelecimento de um corredor humanitário, mas sem tomar novas medidas para pressionar Assad ou a Rússia em relação à crise síria. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia