Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h59.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 15/12/2016. Alterada em 14/12 às 21h35min

Sem informatização, 50 municípios gaúchos podem perder recursos

O Ministério da Saúde divulgou ontem um balanço da implementação do prontuário eletrônico (PE) na atenção básica no País. Conforme o governo, 63% dos municípios ainda não utilizam a plataforma on-line para atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS). Os números revelam que 2.060 cidades aderiram ao sistema até o momento - incluindo 140 que se cadastraram nos últimos 60 dias.
No Rio Grande do Sul, 89,9% das cidades já utilizam a plataforma - a média nacional é 91,8%. O Estado é o 20º entre as 27 unidades da federação em percentual de utilização do PE. O percentual de 10,1% de municípios que não implantaram o mecanismo representa cerca de 50 cidades que, assim, correm o risco de terem suspenso o repasse de recursos federais para as Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Com o prontuário eletrônico, a troca de informações entre equipes médicas - posto de saúde e hospital, por exemplo - é muito mais rápida, e garante que nenhum documento seja extraviado.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia