Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h59.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Prevenção a desastres

Notícia da edição impressa de 15/12/2016. Alterada em 14/12 às 21h34min

Prefeitura pede prorrogação de projeto de resiliência

Isabella Sander
Abraçado por diferentes segmentos da atual prefeitura da Capital, o projeto Porto Alegre Resiliente não deve ser encerrado no dia 1 de janeiro, com a troca da gestão. Durante a prestação de contas de 2016 do projeto, o prefeito José Fortunati assinou, junto com o vice-prefeito eleito, Gustavo Paim, uma solicitação para a Fundação Rockefeller de que os recursos destinados à contratação de dois consultores sejam mantidos por mais um ano devido, principalmente, ao período de transição de governos.
Segundo o secretário de Governança Local, Cezar Busatto, durante 2016, o que de mais importante se construiu na implantação da estratégia de resiliência foi uma rede colaborativa, envolvendo Poder Público, as quatro maiores universidades da cidade, a iniciativa privada e a população. "A coisa mais difícil é criar essa rede de colaboração, para que todos se sintam parte do processo, e isso nós construímos. Por isso, neste primeiro ano, já tivemos resultados muito expressivos", destaca.
Entre os resultados apontados, a menina dos olhos é a evolução do projeto de revitalização do 4º Distrito, região industrial da Capital. "Agora, o masterplan feito do bairro vai para a Câmara de Vereadores, para ser transformado em uma diretriz", revela Busatto. Além disso, houve avanços na proposta de construção de quatro Centros de Juventude, localizados em áreas de violência e vulnerabilidade social.
A prefeitura começou, ainda, a construção de um Comitê de Mudanças Climáticas e Eficiência Energética, que, aos poucos, mudará o padrão energético da cidade, deixando de usar o petróleo para empregar energias limpas e sustentáveis, como a solar. "Queremos fazer da resiliência uma pauta cada vez maior. Nosso sonho é transformá-la na grande marca de Porto Alegre até 2022, quando a cidade comemora 250 anos", ressalta o secretário.
Paim garante a continuidade do projeto. "Já mostramos que somos resilientes, pois fomos conversar com a Rockefeller, dissemos que não poderíamos manter os dois coordenadores e pedimos que nos dessem mais tempo. Eles sinalizaram positivamente com a ideia de um ano de extensão", revela.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia