Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 14 de dezembro de 2016. Atualizado às 08h10.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

investigação

Alterada em 14/12 às 09h13min

Polícia Federal investiga crimes de pornografia infantil no Estado

Uma operação que investiga a divulgação de pornografia infantil pela internet no Rio Grande do Sul foi deflagrada nesta quarta-feira (14) pela Polícia Federal. A segunda fase da Operação Jizô cumpre quatro mandados de busca e apreensão em Porto Alegre e Canoas
De acordo com a PF, dois casos são investigados. Um deles teve início a partir de denúncia recebida pela Delegacia da PF em Itajaí (SC). Uma menina de 13 anos, moradora da cidade catarinense, teve fotos íntimas divulgadas em uma rede social. As investigações identificaram que o responsável pela publicação teria sido um jovem de Porto Alegre que mantinha contato com a adolescente e teria recebido as fotos. Conforme as informações, a jovem foi chantageada e teve as fotos divulgadas quando se negou a enviar mais imagens suas.
No segundo caso, informações enviadas pela PF em Brasília indicaram a divulgação de 115 arquivos de imagens com conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes a partir da cidade de Canoas. Nos dois casos, a Polícia Federal busca evidências que comprovem a autoria do crime.
O nome da Operação faz referência a Jizô ou Jizoué, uma divindade budista referida como guardiã das crianças. A primeira fase da Operação foi deflagrada em abril deste ano, para cumprir mandados de busca e apreensão em Porto Alegre, São Leopoldo e Novo Hamburgo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia