Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de dezembro de 2016. Atualizado às 14h45.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

São Paulo

12/12/2016 - 14h26min. Alterada em 12/12 às 15h45min

Museu da Língua Portuguesa deve reabrir ao público somente em 2019

Local foi atingido por incêndio em dezembro do ano passado, e só deve abrir em 2019

Local foi atingido por incêndio em dezembro do ano passado, e só deve abrir em 2019


ADELEKE ANTHONY FOTE/FUTURA PRESS/AE/JC
O Museu da Língua Portuguesa, atingido por um incêndio em dezembro do ano passado, deverá abrir ao público só em 2019, após as obras de restauração. A reconstrução do espaço foi anunciada nesta segunda-feira, 12, pelo governo do Estado e custará R$ 65 milhões. Já as obras de restauro das fachadas e esquadrias da Estação da Luz começam neste mês.
O valor de investimento da iniciativa privada será de R$ 36 milhões. Participam da "aliança solidária" em prol do museu a portuguesa EDP, o Itaú e o Grupo Globo.
O projeto de restauração das fachadas já foi aprovado pelos três órgãos de patrimônio histórico - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) e Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp). As intervenções terão duração de 12 meses.
O governo do Estado informou que o arquiteto Pedro Mendes da Rocha - que participou do projeto original do museu, junto com Paulo Mendes da Rocha - será o responsável pelas adaptações necessárias no projeto de arquitetura.
A reconstrução será baseada no projeto original, mas serão contempladas adaptações "relativas a adequação às mudanças na legislação e à experiência de uso do prédio durante seus dez anos como museu".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia