Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 03 de dezembro de 2016. Atualizado às 17h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol

03/12/2016 - 18h40min. Alterada em 03/12 às 18h48min

Após homenagem à Chapecoense, Real empata com Barcelona no fim e amplia série invicta

Jogadores entraram no gramado com uma faixa que desejava força à Chapecoense

Jogadores entraram no gramado com uma faixa que desejava força à Chapecoense


JOSEP LAGO/AFP/JC
Em mais uma partida marcada pelas homenagens às vítimas da tragédia com o voo da Chapecoense, o Real Madrid buscou o empate por 1 a 1 com o Barcelona, neste sábado (3), no Camp Nou, graças a um gol marcado por Sergio Ramos aos 45 minutos do segundo tempo, e chegou a 33 partidas seguidas sem derrota em todas as competições que disputou.
O resultado, válido pela 14ª rodada do Campeonato Espanhol, ainda manteve a vantagem de seis pontos do time merengue na liderança disparada da tabela, com 34 pontos, contra os 28 do Barcelona, vice-líder da competição.
O consolo para o Barça foi o fato de que, em outro jogo deste sábado, o Sevilla foi derrotado pelo Granada por 2 a 1, fora de casa, e perdeu a chance de assumir a vice-liderança ao estacionar nos 27 pontos na terceira colocação.
Antes do apito inicial, jogadores e o trio de arbitragem se uniram no centro do gramado para respeitar um minuto de silêncio. À frente de todos, uma faixa preta exibia a mensagem "#FuerzaChapecoense". Nas arquibancadas do Camp Nou, faixas negras e bandeiras de homenagem à equipe brasileira apareciam entre as flâmulas do Barcelona, que se solidarizou com a tragédia que provocou a morte de 71 pessoas após a queda do avião que levava a delegação do time catarinense para a Colômbia, na última terça-feira, para o jogo de ida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional.
Com a bola rolando, a partida deste sábado teve uma polêmica logo no início. Aos dois minutos, Lucas Vásquez recebeu na área, foi tocado pelo zagueiro Mascherano e caiu. No entanto, a arbitragem não viu pênalti no lance e os jogadores do Real Madrid reclamaram muito.
As duas equipes, então, passaram a se estudar muito, sem criar chances efetivas de gol. O Barcelona manteve maior posse de bola, mas o principal lance de perigo aconteceu aos 18 minutos, quando Messi cobrou falta pelo lado direito e Navas fez a defesa com segurança.
Aos 27, Neymar fez falta em Vásquez e levou o cartão amarelo, seu terceiro no Espanhol, que lhe renderá a suspensão automática na próxima rodada, contra o Osasuna. Suspenso também na partida do meio de semana pela Liga dos Campeões, o brasileiro só volta a campo pelo Barcelona no próximo dia 18.
Quando o primeiro tempo se aproximava do fim, o Real Madrid conseguiu criar as chances mais efetivas. Aos 35 minutos, em contra-ataque pela esquerda, Cristiano Ronaldo puxou para a perna canhota e bateu forte, mas Ter Stegen fechou o ângulo e conseguiu mandar para escanteio. Em seguida, o português recebeu na meia-lua, passou por dois marcadores, com direito a bola entre as pernas de Mascherano, e chutou de biquinho para nova defesa do goleiro.
Já aos 44, Benzema avançou pela esquerda, balançou na frente do marcador e cruzou para a área, mas Piqué se esticou todo para afastar o perigo antes de a bola chegar em Cristiano Ronaldo. Na cobrança de escanteio, Varane cabeceou no chão, mas Ter Stegen caiu bem para fazer nova defesa e levar o 0 a 0 para os vestiários.
Após levar o sufoco antes do intervalo, o Barcelona conquistou a tranquilidade logo no início do segundo tempo. Aos sete minutos, Neymar cobrou falta no lado esquerdo, junto à linha de fundo, e encontrou Suárez na pequena área. O uruguaio se posicionou melhor que os marcadores do Real Madrid e cabeceou sem chances para Navas.
Com o gol, o Barcelona se soltou em campo. Aos 14, Luis Enrique promoveu a entrada de Andrés Iniesta para o lugar de Raktic, como queria a torcida. Zidane respondeu aos 20, mandando Casemiro para a vaga de Isco. Após as mudanças, foram os donos da casa que mostraram melhor desempenho.
Aos 24, Neymar driblou Carvajal, mas mandou por cima. No lance seguinte, Iniesta chegou pelo lado esquerdo, chutou e a bola desviou na zaga antes de ir para fora. Aos 26, Neymar tabelou com Messi e saiu na cara do goleiro, mas chutou em cima de Varane.
Nos dez minutos finais, Messi desperdiçou uma ótima chance de ampliar, ao receber passe de Iniesta na esquerda e mandar cruzado para fora. Depois de tanto se segurar atrás, o Real Madrid resolveu ir para o ataque.
Aos 42, Sergio Ramos recebeu cruzamento e subiu mais alto que a defesa, mas cabeceou por cima do gol. Pouco depois, Cristiano Ronaldo apareceu para completar cruzamento, mas escorou fraco e a zaga do Barcelona afastou. Já aos 45, Modric cobrou falta pela esquerda na cabeça de Sergio Ramos, que testou firme para empatar o jogo.
No último lance da partida, Casemiro apareceu para garantir o resultado para o Real Madrid. Na jogada, o goleiro Navas saiu para afastar cruzamento, mas mandou a bola para Sergi Roberto, que cabeceou por cobertura, mas o volante brasileiro surgiu em cima da linha para salvar a invencibilidade que chegou a 33 jogos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia