Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de dezembro de 2016. Atualizado às 09h47.

Jornal do Comércio

Perspectivas 2017

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

Notícia da edição impressa de 23/12/2016. Alterada em 23/12 às 10h48min

Programação variada para todos os gostos

Musical La la land entra em cartaz já em janeiro

Musical La la land entra em cartaz já em janeiro


PARIS FILMES/DIVULGAÇÃO/JC
Muitos dos filmes que provavelmente concorrerão ao Oscar no dia 26 de fevereiro já vão ser conhecidos pelo público brasileiro no dia da cerimônia. A relação de estreias inclui cinebiografias, filmes gaúchos, blockbusters e obras de diretores apreciados pela crítica.
O panorama do cinema brasileiro se enquadra nessa diversidade. A lista de produções gaúchas que vão chegar ao público no próximo ano conta com títulos como Rifle, de Davi Pretto, e Yonlu, de Hique Montanari. O primeiro já teve exibições no ano passado, no Cine Esquema Novo e no Festival de Brasília. Na capital federal, venceu os prêmios de melhor roteiro, melhor som e melhor filme segundo o júri da crítica. Com estreia comercial prevista para o primeiro semestre, o enredo destaca um jovem que vive em uma propriedade localizada em região rural. A dinâmica do local muda com a aparição de um rico proprietário.
Yonlu está em fase de finalização. A obra conta a breve trajetória do estudante e músico porto-alegrense Vinícius Gageiro Marques, cujo pseudônimo artístico batiza o filme. Fluente em quatro idiomas, o garoto morreu aos 16 anos, auxiliado pelos membros de uma comunidade on-line dedicada ao suicídio.
Outras produções brasileiras previstas para 2017 são Bingo - o rei da manhã, baseado na história de Arlindo Barreto, um dos intérpretes do palhaço Bozo; e Minha fama de mau, cinebiografia de Erasmo Carlos. Fernanda Montenegro e Fernanda Torres também voltarão às telonas: as duas estão no elenco do terror sobrenatural O juízo, de Andrucha Waddington.
Logo na metade de janeiro, as produções internacionais chegam com força nas salas. Entre elas, Manchester à beira-mar, drama de Kenneth Lonergan, e La la Land - Cantando estações, musical de Damien Chazell - ambos concorrentes ao Globo de Ouro. O primeiro acompanha um homem que deve tomar conta do sobrinho após a morte de seu irmão; o segundo destaca o romance entre um pianista de jazz e uma atriz iniciante.
Também no primeiro mês do ano chega a continuação de um dos filmes mais cultuados dos anos 1990. T2 - Trainspotting retoma a história de um grupo de escoceses imersos no submundo das drogas, em Edimburgo. A sequência tem novamente direção de Danny Boyle (premiado por Quem quer ser um milionário?) e reapresenta os mesmos personagens 20 anos depois após a produção original.
No campo das promessas de sucesso nas bilheterias, a seleção é grande. Constam títulos como a adaptação de A Bela e a Fera, com Emma Watson, da saga Harry Potter; a animação Meu malvado favorito 3; e o fenômeno Velozes e furiosos, no oitavo filme. Já a leva de longas-metragens de super-heróis é representada por Homem-Aranha: de volta ao lar. O filme do "cabeça de teia" dessa vez é interpretado pelo jovem Tom Holland.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia