Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de dezembro de 2016. Atualizado às 17h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 29/12 às 19h00min

Bovespa recupera perdas de 2015 e fecha 2016 com ganho de 38,9%

A Bovespa teve um pregão de tranquilidade nesta quinta-feira (29), que encerrou o ano nos mercados financeiros. Com noticiário escasso, volume de negócios reduzido e oscilações moderadas, o Índice Bovespa fechou aos 60.227,28 pontos, em alta de 0,75% no dia. O volume financeiro totalizou R$ 5 bilhões, contra R$ 8 bilhões da média diária de dezembro.
Apesar das dificuldades na economia nacional, 2016 foi um ano bom para o mercado de ações. O Ibovespa encerrou o período com ganho nominal de 38,94%, porcentual que compensou com folga as perdas de 2015, que somaram 13,31%. Quem mais lucrou este ano foi o investidor estrangeiro, cujos ganhos foram potencializados pela apreciação do real no período. Em dólares, o Ibovespa acumulou ganhos de 69,18% em 2016. Até a última terça-feira (27), o saldo de investimentos estrangeiros na bolsa indicava ingresso de R$ 13,886 bilhões no ano.
"O ano foi bastante positivo para a Bovespa, que refletiu uma mudança importante no cenário político - com a troca de governo - e uma melhora na perspectiva de recuperação da economia", disse Ignácio Crespo, economista da Guide Investimentos. Apesar de a recuperação econômica ainda estar longe de acontecer, diz o analista, o mercado reagiu à percepção de que o atual governo tenha maior êxito no ajuste fiscal.
"As altas no mercado de renda variável foram praticamente generalizadas no ano, tendo como destaque negativo basicamente as ações de empresas sensíveis ao câmbio", disse um operador de uma corretora paulista. Exemplos desse comportamento foram Fibria ON (-37,46% no ano) e Klabin Unit (-22,28%).
"Já aquelas ligadas a commodities acompanharam a recuperação dos preços no mercado internacional e estiveram entre as maiores altas", afirmou. Vale PNA ganhou 128,99% no ano, enquanto CSN ON e Gerdau Metalúrgica avançaram 171,25% e 189,16%, respectivamente. Bradespar, holding de investimentos do Bradesco e uma das sócias da Vale, ganhou 199,57% no ano e liderou as altas do Ibovespa.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia