Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 29 de dezembro de 2016. Atualizado às 16h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 29/12 às 17h50min

Juros encerram última sessão regular do ano estáveis e com liquidez fraca

Os juros futuros encerraram a última sessão regular de 2016 estáveis. A liquidez, como nos dias anteriores desta semana, foi fraca nesta quinta-feira. Na comparação com o encerramento do ano passado, porém, as taxas deste fechamento são bastante inferiores. Isso reflete uma melhora de percepção em relação ao País e expectativas para o ciclo de afrouxamento monetário em curso.
O DI para janeiro de 2018 marcou 11,54% no fim da sessão regular, mesma taxa no ajuste de ontem. Esse contrato encerrara o ano passado a 16,53%. O DI para janeiro de 2019 fechou em 11,05%, ante 11,06% no ajuste anterior. E o DI para janeiro de 2021 terminou na mínima de 11,34%, ante 11,37% no ajuste de ontem. No fim de 2015, a taxa estava em 16,62%.
A gestora de renda fixa da Mongeral Aegon Investimentos, Patrícia Pereira, afirmou que, apesar de ter recuado mais que a de outros vencimentos, a taxa do contrato para janeiro 2021 de hoje não é resultado das notícias e indicadores do dia. "O IGP-M veio dentro do intervalo esperado. O desemprego pela Pnad Contínua também veio dentro do esperado. E a diferença entre o ajuste de ontem e a mínima do DI para janeiro de 2021 hoje é muito pequena para alguém dizer que foi uma reação a essa ou aquela notícia."
Depois do encerramento da sessão regular dos juros futuros na BM&FBovespa, foram divulgados dados do Caged. O saldo líquido de emprego formal foi negativo em 116.747 vagas em novembro. O resultado é pior do que a projeção mais pessimista captada por levantamento do Projeções Broadcast com 17 economistas e que mostrava um intervalo de -104.100 a -29.000.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia