Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h46.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 23/12 às 16h51min

Bolsas da Europa fecham na maioria em alta, com bancos de novo em primeiro plano

As principais bolsas europeias fecharam quase todas em alta nesta sexta-feira, com volumes mais baixos no último pregão antes do Natal. As atenções estiveram novamente voltadas para os bancos, após o Monte dei Paschi conseguir ajuda oficial na Itália e o Deutsche Bank e o Credit Suisse fecharem acordos para pagar multas nos Estados Unidos.
O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,04% (0,15 pontos), em 359,97 pontos, perto da estabilidade. Na semana, o Stoxx 600 teve baixa de 0,01%.
Na Itália, o Monte dei Paschi finalmente foi alvo de uma intervenção oficial, após não conseguir levantar no setor privado os 5 bilhões de euros (US$ 5,2 bilhões) que almejava para uma recapitalização. Nesta semana, o Parlamento já havia aprovado um pacote de 20 bilhões de euros para garantir a estabilidade dos bancos italianos. A ação do banco foi suspensa em Milão, mas a notícia do apoio estatal beneficiou parte do setor bancário do país: Intesa Sanpaolo avançou 1,23% e Banca Popolare di Milano, 1,27%. O índice FTSE-MIB fechou em alta de 1,17%, em 19.345,02 pontos na Bolsa de Milão. Na semana, o FTSE-MIB avançou 1,74%.
O Deutsche Bank e o Credit Suisse chegaram nesta sexta-feira a um acordo com o governo dos EUA e devem pagar multas a fim de resolver processos relativos à venda de títulos lastreados em hipotecas há alguns anos nos EUA. A ação do Deutsche Bank subiu 0,34%, já que investidores temiam que o valor do acordo - US$ 7,2 bilhões - fosse bem maior. Ainda assim, na Bolsa de Frankfurt o índice DAX caiu 0,05% hoje, a 11.449,93 pontos. Na semana, o DAX subiu 0,40%. Entre outras ações em foco nesta sexta-feira, Commerzbank caiu 1,24% e a companhia E.ON, do setor de energia, subiu 0,30%.
Na Bolsa de Londres, que fechou mais cedo hoje por causa do feriado, o índice FTSE-100 avançou 0,06%, para 7.068,17 pontos, e na semana subiu 0,81%. Barclays caiu 0,9%, após o Departamento de Justiça dos EUA informar que o banco terá de enfrentar processo similar ao do Deutsche, e HSBC teve queda de 1,4%. Já a ação da Capita se destacou e subiu 3,78%, recuperando-se de perdas recentes.
Em Paris, o índice CAC-40 fechou com ganho de 0,10%, em 4.839,68 pontos, e na semana avançou 0,13%. No setor bancário, Société Générale caiu 0,16% e Crédit Agricole recuou 0,87%.
Na Bolsa de Madri, o Ibex-35 subiu 0,37%, para 9.367,70 pontos, porém na semana perdeu 0,48%. Hoje, BBVA caiu 3,29% e Santander avançou 0,42%, entre os bancos, e Telefónica subiu 1,43%.
Em Lisboa, o índice PSI-20 avançou 0,50%, para 4.635,73 pontos, e na semana subiu 0,17%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia