Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 23 de dezembro de 2016. Atualizado às 00h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 23/12/2016. Alterada em 23/12 às 01h06min

Para China, cooperação com os EUA é necessária

A China emitiu uma resposta equilibrada, nesta quinta-feira, à nomeação pelo presidente eleito dos EUA, Donald Trump, de um cético sobre o comércio com os chineses para monitorar a política comercial e industrial norte-americana. "A China, como todos os outros países, está observando atentamente a direção política que os EUA irão tomar", afirmou uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores em Pequim. "A cooperação é a única escolha correta para os dois lados."
Trump nomeou, na quarta-feira, Peter Navarro como diretor do Conselho Nacional de Comércio, um órgão recém-criado da Casa Branca. Navarro, assessor de campanha de Trump e professor da Universidade da Califórnia, sustenta que o acesso da China à Organização Mundial de Comércio (OMC) em 2001 cortou pela metade o crescimento econômico dos EUA e custou ao país 70 mil empregos no setor industrial.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia