Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de dezembro de 2016. Atualizado às 14h26.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Telecomunicações

Alterada em 22/12 às 15h54min

Oi chega a 284 municípios com 4G em 2016

A operadora de telefonia Oi, protagonista do maior processo de recuperação judicial do Brasil, vai encerrar 2016 com cobertura de rede 4G em 284 cidades do País. Neste ano, a companhia lançou a tecnologia em 151 municípios. Apesar do crescimento de 113%, a tele ainda ocupa a última posição no ranking de cobertura do 4G das quatro maiores operadoras.
O primeiro lugar é da TIM, que já atende 1 mil cidades. Na sequência, aparecem Claro (383) e Vivo (244), segundo dados divulgados em 12 de dezembro pela consultoria Teleco, especializada no setor.
"Temos direcionado parte dos nossos investimentos para expansão e modernização da rede, além da ampliação de cobertura, que para 2017 projeta um crescimento próximo de 540 municípios adicionais na rede 4G", afirmou o diretor de Operações e Desenvolvimento, Andre Ituassu. Com isso, a companhia espera chegar a mais de 800 cidades do País no final do ano que vem.
Mesmo com a situação financeira crítica, a Oi ampliou em 14% os investimentos feitos nos primeiros nove meses do ano na comparação com o mesmo período de 2015. Foram R$ 3,4 bilhões entre janeiro e setembro, sendo mais de 80% em expansão de rede 3G e 4G.
Entre as novas cidades que têm o 4G da Oi, estão os municípios paulistas de Araçatuba, Araras, Atibaia, Barretos, Birigui e Bragança Paulista. No Rio, algumas das cidades são Angra dos Reis, Araruama, Barra Mansa, Cabo Frio e Itaguaí.
Além de estar na lanterninha da cobertura, a Oi também deve ter dificuldades com o 4G nos próximos anos, quando será liberada a frequência dos 700 MHz, hoje ocupada pelo sinal de TV aberta e que será usada na expansão da tecnologia. A Oi não participou do leilão da frequência realizado em 2014, quando já estava altamente endividada, enquanto as três concorrentes sim.
Por enquanto, esta frequência ainda é pouco usada pelas operadoras, uma vez que é preciso o desligamento da TV analógica antes. Em novembro, Brasília foi a primeira grande região metropolitana a ser digitalizada. Em 15 de fevereiro, foi digitalizada a cidade goiana de Rio Verde, com cerca de 200 mil habitantes.
No mês passado, o presidente da Oi, Marco Schroeder, reconheceu a fragilidade por não ter a frequência de 700 MHz, mas afirmou que isso pode ser compensado com parcerias. "É um ativo que não temos, mas temos outros que muitos dos competidores não têm", disse na época.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia