Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 22 de dezembro de 2016. Atualizado às 11h50.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

22/12/2016 - 12h54min. Alterada em 22/12 às 12h54min

Gol projeta taxa de ocupação entre 77% e 79% em 2017

Companhia aérea projeta ainda uma frota média de 115 aeronaves em 2017

Companhia aérea projeta ainda uma frota média de 115 aeronaves em 2017


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A Gol Linhas Aéreas espera para 2017 taxa de ocupação média entre 77% e 79%, de acordo com perspectivas preliminares para o ano que vem. A empresa projeta ainda uma margem Ebit (Lucro Antes de Juros e Imposto de Renda) entre 5% a 7%.
A companhia aérea projeta ainda uma frota média de 115 aeronaves em 2017, com variação na oferta (ASK) entre 0% e queda de 2%. A variação nos assentos totais deve ser entre -3% e -5% no próximo ano. A empresa espera ainda uma variação entre -3% e -5% no volume de decolagens em 2017.
Em fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a empresa destaca que tem atuado para ajustar o tamanho da sua frota ao crescimento econômico, e a administração também acredita que tem sido bem sucedida em equiparar a oferta de assentos com a demanda, como indicado pela manutenção de suas altas taxas de ocupação.
"As projeções da Gol para 2017 refletem a continuidade da estratégia sólida, com a projeção de oferta acompanhando a previsão de crescimento do PIB e consequente demanda esperada de assentos", explica.
A companhia ressalta, no entanto, que em função da volatilidade do cenário macroeconômico brasileiro, estas perspectivas financeiras para o ano de 2017 poderão ser ajustadas visando incorporar a evolução de seu desempenho operacional e financeiro, além de eventuais mudanças nas tendências de crescimento de PIB, taxa de juros, câmbio, e preço do petróleo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia