Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 20 de dezembro de 2016. Atualizado às 09h05.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 20/12 às 10h07min

Taxas futuras de juros rondam estabilidade antes de Ilan Goldfajn

Os juros futuros oscilam entre margens estreitas na manhã desta terça-feira (20) com os curtos e intermediários com viés de alta, enquanto os mais longos recuam, em linha com o dólar. No radar do período da manhã está o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que deve detalhar medidas estruturais para economia (às 11 horas, de Brasília).
A autonomia do BC - uma bandeira antiga da instituição - e a redução do custo de crédito, inclusive em operações com cartões, serão contempladas nos anúncios, mas não são de encaminhamento imediato.
Com efeitos de curto prazo, o Banco Central vai confirmar a possibilidade de os lojistas oferecerem aos clientes descontos caso a compra seja paga em dinheiro, e não por cartão de crédito.
Outra medida de curto prazo será a regulamentação da Letra Imobiliária Garantida (LIG), um novo instrumento de captação para o setor imobiliário. O BC também apresentará uma agenda com foco em sua autonomia.
Às 9h30min, o DI para janeiro de 2018 exibia 11,68%, de 11,66% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2019 estava em 11,31%, de 11,29%, enquanto o vencimento para janeiro de 2021 exibia 11,74%, na mínima, de 11,79% no ajuste anterior.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia