Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 19 de dezembro de 2016. Atualizado às 07h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 19/12 às 08h05min

Bolsa de Tóquio fecha em baixa marginal, à espera de decisão do BoJ e de Yellen

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa marginal nesta segunda-feira (19), com os investidores à espera da decisão de política monetária do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) e de um discurso da presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Janet Yellen.
O Nikkei terminou o dia praticamente estável, com ligeira queda de 0,05%, a 19.391,60 pontos. Na última semana, o índice japonês acumulou valorização de 2,13%.
O clima em Tóquio é de cautela antes da reunião de política monetária do BoJ, que começa hoje e será concluída nesta terça-feira. Para a Nomura Securities, no entanto, o BC japonês não deverá alterar sua política.
Há também expectativa para a fala de Yellen, que discursa em um evento na tarde desta segunda, a partir das 16h30 (de Brasília). Na semana passada, o Fed elevou juros pela primeira vez desde o fim de 2015 e previu mais três aumentos das taxas para 2017.
Destacaram-se negativamente na bolsa japonesa a Nintendo (-7,06%), após críticas negativas ao seu recém-lançado jogo para aparelhos móveis Super Mario Run, e a seguradora Tokio Marine & Nichido Fire Insurance (-1,2%), depois de recente notícia sobre redução nos prêmios de seguro de veículos.
Já a fabricante de componentes eletrônicos Murata Manufacturing e a montadora Nissan tiveram ganhos apenas moderados, de 0,47% e 0,12%, respectivamente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia