Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 14/12/2016. Alterada em 13/12 às 22h47min

Fed deve elevar juros após um ano sem altas

Um ano depois do último aumento de juros nos EUA, em dezembro de 2015, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) deve voltar a subir as taxas na reunião de política monetária que termina hoje. Com a elevação dada como certa por Wall Street, o foco de analistas é sobre o que o Fed vai sinalizar para 2017 e para os próximos anos, que vão marcar a gestão do novo presidente do país, o republicano Donald Trump.
A reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), que reúne os 17 principais dirigentes do Fed, começou na segunda-feira e ontem terminou com a divulgação, no fim da tarde, de um comunicado e novas projeções para indicadores como taxa de desemprego, juros e Produto Interno Bruto (PIB).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia