Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

construção civil

Notícia da edição impressa de 13/12/2016. Alterada em 12/12 às 21h52min

Valor médio do aluguel na Capital recua 5,5% em 12 meses

Preço do metro quadrado porto-alegrense para venda cresceu 5,6% no período

Preço do metro quadrado porto-alegrense para venda cresceu 5,6% no período


CLAITON DORNELLES/JC
O preço nominal médio do metro quadrado para aluguel em Porto Alegre atingiu R$ 21,00 em novembro, valorização de 0,23% em relação a outubro. Após nove meses em queda, é a primeira vez que o mercado porto-alegrense registra valorização. Se comparado com novembro de 2015, cujo valor era de R$ 22,22, a desvalorização foi de 5,5%. Em novembro deste ano, 56% dos consumidores buscaram imóveis para comprar e 44% para alugar na capital.
O DMI-VivaReal, levantamento realizado pelo VivaReal (www.vivareal.com.br), contemplou uma amostra de 30 cidades em diferentes regiões do País e considerou mais de 2 milhões de imóveis usados disponíveis para compra ou aluguel. A pesquisa aponta que a média nacional no m2 para aluguel foi de R$ 23,59 em novembro de 2016, desvalorização de 0,41% em relação a outubro. Porto Alegre ficou abaixo do custo médio do Brasil. São Paulo é a cidade mais cara para aluguel (R$ 35,16/m2), seguida do Rio de Janeiro (R$ 33,33/m2), Brasília (R$ 31,67/m2), Santos (R$ 28,89/m2) e Recife (R$ 24,19/m2).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia