Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de dezembro de 2016. Atualizado às 08h45.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

08/12/2016 - 09h48min. Alterada em 08/12 às 09h48min

OCDE prevê aceleração no crescimento econômico em 2017

O índice de indicadores antecedentes da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) manteve-se em 99,8 em outubro. A pesquisa divulgada nesta quinta-feira (8) apontou para uma aceleração no crescimento dos Estados Unidos e do Reino Unido e também que o crescimento econômico nos países do grupo deve acelerar em 2017. Uma leitura abaixo de 100 mostra crescimento mais fraco que o normal.
Na avaliação da OCDE, a economia dos Estados Unidos já estava no caminho para uma retomada do crescimento econômico mesmo antes da vitória de Donald Trump na eleição presidencial, segundo o levantamento. A entidade sediada em Paris apontou que há sinais mais firmes de retomada no crescimento em vários grandes países em desenvolvimento, bem como no Reino Unido e na França. No geral, os dados sugerem que 2017 deve marcar uma aceleração no ritmo fraco da expansão registrada no ano atual.
Em maio, os indicadores antecedentes para os EUA apontavam para uma desaceleração no crescimento. Os números passaram a apontar depois para estabilização, mas em outubro pelo primeiro mês apontaram para um avanço.
Investidores esperam que o crescimento e a inflação avancem nos EUA no próximo ano, diante da promessa de Trump de gastar mais em infraestrutura e cortar impostos. Os indicadores da OCDE sugerem, porém, que a economia do país já estava posicionada para crescer mais, o que representa um maior risco de aquecimento excessivo da economia se houver estímulos demais na nova administração.
No Reino Unido, a OCDE aponta que os números indicam melhora no crescimento econômico, embora continue a haver incerteza sobre a natureza do acordo que o país conseguirá com sua saída da União Europeia. A OCDE prevê que o Reino Unido cresça 1,2% no próximo ano e 1% em 2018, após avançar 2% no ano atual.
A OCDE vê sinais de melhora no crescimento na França, sinais continuados de avanço econômico mais forte no Canadá e na Alemanha, além de sinais de melhora em China, Índia, Brasil e Rússia. Apenas a Itália entre as grandes economias deve ter desaceleração do crescimento.
Os economistas da OCDE estimam que o crescimento deste ano nos países do grupo desacelere para 2,9%, de 3,1% em 2015, mas para 2017 preveem uma modesta aceleração ante o ano atual.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia