Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de dezembro de 2016. Atualizado às 00h27.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Comércio Exterior

Notícia da edição impressa de 08/12/2016. Alterada em 08/12 às 01h30min

Empresários defendem tarifa zero entre EUA-Brasil

Casa Branca, setores econômicos e Mercosul devem ser entraves

Casa Branca, setores econômicos e Mercosul devem ser entraves


TECON RIO GRANDE/DIVULGAÇÃO/JC
Entidades representantes do empresariado brasileiro e norte-americano elaboraram uma proposta de acordo para reduzir as tarifas no comércio entre os dois países ao longo de 10 anos. A meta é zerá-las até 2030.
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) apresentou o documento em evento ontem com a presença do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira. A Câmara de Comércio norte-americana, que representa o lado dos EUA na proposta, deve divulgá-la nos próximos dias para a equipe de transição que toca a passagem da presidência para Donald Trump. Os empresários pedem que os governos iniciem as negociações no começo de 2017, logo após a posse do republicano, cuja campanha eleitoral teve o comércio exterior como um de seus principais alvos. A CNI, porém, não acredita que seja um momento ruim para pressionar por um acordo.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia