Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de dezembro de 2016. Atualizado às 00h33.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Notícia da edição impressa de 08/12/2016. Alterada em 07/12 às 20h17min

Perdas por furto e erro recuam no varejo, mostra pesquisa da Ibevar

Setor de vestuário e calçados registra os maiores prejuízos

Setor de vestuário e calçados registra os maiores prejuízos


JONATHAN HECKLER/JC
O varejo tem mantido, nos últimos anos, um nível de perdas acima do patamar histórico, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar). O estudo tem como base dados de mais de 3 mil pontos de venda coletados ao longo de 2015 e identificou que perdas com erros operacionais e furtos reduziram ante 2014, porém seguem acima do patamar da última década.
As perdas nas atividades de comercialização de bens associadas a roubos, furtos e problemas operacionais atingiram a marca de 2,25% do faturamento líquido do ano passado das empresas varejistas brasileiras, um pouco abaixo dos 2,89% de 2014. O índice de perdas supera o nível entre 1,8% e 1,9% de anos anteriores.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia