Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Notícia da edição impressa de 07/12/2016. Alterada em 06/12 às 22h37min

Dólar recua, e bolsa sobe 2,10%

O câmbio doméstico seguiu de perto ontem as reviravoltas do imprevisível cenário político brasileiro e as discussões em torno do efeito político sobre o ajuste fiscal. Pela manhã, a preocupação principal era a chegada do petista Jorge Viana (AC) à presidência do Senado, com o possível afastamento de Renan Calheiros (PMDB) da chefia da Casa, garantindo alta no dólar.
Durante a tarde, entretanto, a divisa norte-americana inverteu o avanço e recuou abaixo de
R$ 3,40 nos menores valores do dia no mercado à vista. O catalisador do movimento veio da decisão da Mesa Diretora do Senado de que aguardará o posicionamento do plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) antes de afastar ou não Renan da presidência da Casa. Com isso, o mercado entendeu que há um aparente alinhamento entre senadores, inclusive do primeiro vice-presidente, Jorge Viana (PT-AC), para dar sequência à tramitação de medidas de ajuste fiscal.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia