Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de dezembro de 2016. Atualizado às 16h22.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 06/12 às 17h27min

Ouro cai em Nova Iorque, com dólar forte e expectativa de aumento de juros nos EUA

O contrato futuro do ouro fechou em queda nesta terça-feira (6) novamente pressionado pelo fortalecimento do dólar e pelas perspectivas de elevação dos juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).
O ouro para fevereiro recuou 0,54%, para US$ 1.170,10 a onça-troy, na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
Os preços do metal vêm sofrendo nas últimas semanas com o dólar forte e com expectativas de que o Fed irá aumentar os juros na reunião de política monetária na próxima semana. Além disso, alguns analistas afirmam que pode haver mais aumentos nos juros em 2017 devido a dados positivos da economia dos EUA. Hoje, foram divulgadas as encomendas à indústria, que cresceram 2,7% em outubro, como o previsto pelos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal.
A força do dólar costuma penalizar o ouro, que é cotado na moeda americana. Quando o dólar sobe, os preços do metal ficam mais altos para investidores estrangeiros. Já a perspectiva de aperto monetário também costuma pesar no metal, uma vez que os investidores costumam migrar para ativos cujo retorno fica maior quando os juros sobem, como é o caso dos Treasuries.
Havia também uma expectativa de que os preços do ouro subissem com a vitória do "não" no referendo de reforma constitucional na Itália no último domingo, devido a uma sinalização de maior incerteza política na Europa, que pudesse ameaçar a zona do euro. No entanto, o metal não foi atingido pelo referendo e continuou a cair. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia