Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 02 de dezembro de 2016. Atualizado às 17h59.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Marketing

Notícia da edição impressa de 02/12/2016. Alterada em 02/12 às 19h00min

Itaú, Bradesco e Skol têm as marcas mais valiosas

Itaú lidera ranking produzido pela consultoria de marcas Interbrand

Itaú lidera ranking produzido pela consultoria de marcas Interbrand


MARCELO G. RIBEIRO/JC
As marcas mais valiosas do Brasil são de bancos e cervejas - encabeçam a lista Itaú, Bradesco, Skol, Brahma e Banco do Brasil. O resultado faz parte do ranking produzido pela consultoria de marcas Interbrand, com as 25 marcas brasileiras mais valiosas de 2016, divulgado nesta quinta-feira.
As marcas que mais cresceram de 2015 para 2016 foram Havaianas, Renner, Ipiranga, Bradesco e Lojas Americanas. Duas novas marcas integram o ranking deste ano, na comparação com 2015: CVC (primeira agência de viagens a fazer parte da lista) e Magazine Luiza (que havia deixado de aparecer entre as maiores no ano passado), ocupando a 22ª e 24ª posição, respectivamente.
Quinze das 25 marcas apresentam uma variação positiva no comparativo com o ano anterior. Delas, sete tiveram um crescimento de dois dígitos em seus valores de marca: Renner e Havaianas, com 17% (a maior variação positiva); Ipiranga, com 16%; a vice-líder do ranking, Bradesco, com 15%; Lojas Americanas, com 14%; Cielo, com 12%; e Bohemia, com 10%.
"Enquanto a economia brasileira encolhe, o valor total das 25 marcas brasileiras mais valiosas cresceu 5,4% neste ano. O portfólio, que valia R$ 104 bilhões no ano passado, passou a valer R$ 110 bilhões", disse André Matias, diretor de estratégia da Interbrand, em nota à imprensa.
Por outro lado, houve quedas expressivas no ranking. A maior delas foi do BTG Pactual (-27%), seguido pela Petrobras (-17%) e por Casas Bahia (-16%). O ranking foi desenvolvido em parceria com a empresa Provokers. Para chegar ao resultado, foi realizada uma pesquisa em todo o Brasil, que reuniu mais de mil entrevistados e 124 marcas. Também foram ouvidos gestores de marcas como Itaú, Bradesco, Skol, Havaianas, Renner e Ipiranga.

O ranking e a variação do valor em 2016 sobre 2015

  • 1º Itaú: 8%
  • 2º Bradesco: 15%
  • 3º Skol: 9%
  • 4º Brahma: 4%
  • 5º Banco do Brasil: 2%
  • 6º Natura: 1%
  • 7º Antarctica: 3%
  • 8° Petrobras: -17%
  • 9º Vivo: -8%
  • 10º Cielo: 12%
  • 11º BTG Pactual: -27%
  • 12º Lojas Americanas: 14%
  • 13º Renner: 17%
  • 14º Ipiranga: 16%
  • 15º Casas Bahia: -16%
  • 16º Porto Seguro: 2%
  • 17º Havaianas: 17%
  • 18º Extra: -7%
  • 19º Hering: -9%
  • 20º Totvs: -1%
  • 21º Bohemia: 10%
  • 22º CVC: s/v
  • 23º Rede: -9%
  • 24º Magazine Luiza: s/v
  • 25º Localiza: 7%
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia