Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 15 de dezembro de 2016. Atualizado às 21h55.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Edgar Lisboa

Repórter Brasília

Notícia da edição impressa de 16/12/2016. Alterada em 15/12 às 22h51min

Polêmica com dívidas

Por conta de uma falta de acordo generalizada, a Câmara dos Deputados deixou de votar a renegociação da dívida dos estados, já aprovada no Senado. As mudanças feitas pelos senadores não agradaram aos deputados. O ponto mais polêmico incluído pelo Senado na proposta é a instituição do Regime de Recuperação Fiscal para os estados que estão em situação crítica, como Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro. Esse regime prevê, como contrapartida à suspensão das obrigações com o Tesouro Nacional, medidas de ajuste fiscal, como criação de programa de privatização; elevação da contribuição previdenciária dos servidores ativos e inativos para, no mínimo, 14%; redução de benefícios fiscais; e adoção de novas regras previdenciárias.
Desinteresse dos deputados
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia