Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 28 de dezembro de 2016. Atualizado às 17h53.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Notícia da edição impressa de 29/12/2016. Alterada em 28/12 às 16h52min

Ospa em programação ampliada

Carmina Burana, com a Cia. Municipal de Dança, foi um dos destaques da orquestra em 2016

Carmina Burana, com a Cia. Municipal de Dança, foi um dos destaques da orquestra em 2016


ADRIANA MARCHIORI/DIVULGAÇÃO/JC
Neste ano, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre aumentou o número de séries e concertos, além de produzir grandes espetáculos encenados e incrementar a atuação de seu conservatório. A partir do conceito Ospa para Todos e com o objetivo de realizar 66 concertos em comemoração aos seus 66 anos de história, a orquestra lançou em 2016 duas séries: Música no Museu e Serenata Sinfônica. A programação também contou com a parceira da Ospa Jovem e manteve as séries Interior, Theatro São Pedro, Ufrgs, Igrejas, Didáticos e Araújo Vianna.
Conforme o balanço divulgado recentemente pela instituição, um dos principais destaques do ano foi o retorno da Ospa e de seu Coro Sinfônico às grandes encenações. Após 14 anos sem apresentar óperas encenadas, a orquestra montou Don Pasquale, de Donizetti, em agosto, no Theatro São Pedro, e Carmina Burana, de Carl Orff, em dezembro, no Auditório Araújo Vianna. Ambos os espetáculos tiveram direção do maestro Evandro Matté, com destaque para o último que teve a presença da Companhia Municipal de Dança de Porto Alegre.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia