Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 30 de novembro de 2016. Atualizado às 21h33.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 01/12/2016. Alterada em 30/11 às 22h27min

O Estado e o futuro

José Alberto Wenzel
1954: o padre Balduíno Rambo fora nomeado dirigente da Seção de Ciências Naturais da Divisão de Educação e Cultura do Estado, instalada no sótão do prédio 78 da Praça Dom Feliciano. Ludwig Buckup e Thales de Lema assumiram como assistentes técnicos. Destas mentes inovadoras, com outros apoios, nasceu o atual Museu de Ciências Naturais, cuja certidão de nascimento foi assinada, em 5 de novembro de 1955, pelo então governador Ildo Meneghetti.
1956: no dia 26 de outubro, uma comissão encarregada de dar destinação a uma área privilegiada próxima à Pucrs apresentou a proposta de criação do Jardim Botânico de Porto Alegre, cuja implantação teve à frente o lassalista Irmão Teodoro Luis. Disponibilizado ao público em 10 de setembro de 1958, a primeira casa de vegetação do Botânico foi inaugurada pelo governador Leonel de Moura Brizola no dia 1 de maio de 1962.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia