Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de novembro de 2016. Atualizado às 21h43.

Jornal do Comércio

Opinião

CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 29/11/2016. Alterada em 28/11 às 22h36min

Nenhum direito a menos

Nilton Neco
Neste ano, obtivemos mais uma vitória. Mesmo num cenário difícil para as negociações, com queda nas vendas, alta de inflação e aumento do desemprego, foi possível avançar e garantir aumento para a categoria comerciária.
Está garantido nos salários e pisos o reajuste de 8,5%, o que corresponde a 100% da inflação medida pelo INPC/IBGE - Índice Nacional de Preços ao Consumidor -, repondo assim integralmente o poder de compra dos comerciários no período da data-base.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia