Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 08 de novembro de 2016. Atualizado às 10h27.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

Artigo

Notícia da edição impressa de 08/11/2016. Alterada em 07/11 às 22h54min

Uma nova política de segurança pública

Salesio Nuhs
Após 11 anos que cerca de 60 milhões de brasileiros rejeitaram a proibição da venda de armas de fogo e munições num referendo popular, e que não foi respeitado com a imposição de medidas mais restritivas e burocráticas, o Brasil vive hoje um novo momento, com boas perspectivas de mudanças na política de segurança pública.
A reforma ministerial do presidente Michel Temer (PMDB), com a nomeação do ex-secretário de Segurança de São Paulo e agora ministro da Justiça Alexandre de Moraes (PSDB), é um forte indício do caminho que será trilhado: uma política sem visões ideológicas, baseada na realidade.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia