Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de novembro de 2016. Atualizado às 23h53.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 03/11/2016. Alterada em 03/11 às 00h49min

Mães que trabalham, mães que empreendem

Manuela d'Ávila
Em agosto deste ano, o ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), errou quando afirmou que os homens trabalham mais que as mulheres. A afirmação do ministro foi para justificar a baixa procura de atendimento médico pelo sexo masculino. Sabemos que esta não é a realidade, embasados em estatísticas.
Segundo o IBGE, em 2004, as mulheres trabalhavam quatro horas a mais que os homens por semana, quando somada a ocupação remunerada e as tarefas de casa. Já em 2014, esse quadro passou para cinco horas a mais na conta das mulheres. E quando a mulher trabalhadora decide ser mãe?
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia