Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de novembro de 2016. Atualizado às 23h53.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 24/11/2016. Alterada em 23/11 às 21h18min

Nikki Haley será embaixadora na ONU

Governadora da Carolina do Sul é conhecida por sua capacidade de união

Governadora da Carolina do Sul é conhecida por sua capacidade de união


MANDEL NGAN/AFP/JC
O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, selecionou a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, como a próxima embaixadora do país na Organização das Nações Unidas, informou a equipe de transição dele nesta quarta-feira. Considerada uma estrela em ascensão no Partido Republicano, Nikki consegue agora um posto diplomático importante.
Nikki é a primeira mulher a ser escolhida para um posto importante na próxima administração. Ela manteve reservas a Trump durante as primárias e apoiou na disputa os senadores Marco Rubio e Ted Cruz.
As relações, porém, melhoraram após a vitória de Trump em 8 de novembro. Na semana passada, ela se encontrou com o magnata e disse que a conversa havia sido produtiva. O posto de embaixador na ONU é importante, pois assessora a Casa Branca em política externa e representa os EUA em discussões com outros países.
"A governadora mostra um histórico de unir pessoas independentemente de sua formação ou filiação partidária para avançar com políticas cruciais para a melhora do estado que governa e do país", afirmou Trump em comunicado. Segundo ele, a política se mostrou capaz de fechar muitos acordos. "Ela será uma grande líder nos representando na arena mundial."
Nikki, de 44 anos, é governadora há dois mandatos. Ao selecioná-la, Trump optou por alguém conhecido no Partido Republicano, mas pouco conhecida por suas visões em política externa. Uma exceção ocorreu em setembro de 2015, quando ela assinou uma carta junto com outros 14 governadores republicanos contra o acordo nuclear com o Irã.
Em comunicado, ela afirmou que os EUA enfrentam "enormes desafios internos e internacionalmente" e que se sente "honrada" pelo convite para o posto. Nikki precisa ainda receber o aval do Senado. Caso isso aconteça, o governo da Carolina do Sul será assumido pelo vice, Henry McMaster, um dos primeiros a apoiar Trump na disputa das primárias republicanas.

Trump pode encerrar pesquisas da Nasa sobre mudanças climáticas

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, pode encerrar as pesquisas sobre mudanças climáticas conduzidas pela Nasa, a agência espacial norte-americana, como parte de uma repressão à "ciência politizada", de acordo com o jornal britânico The Guardian.
Segundo a publicação, a divisão de Ciências da Terra da Nasa poderia ter seu financiamento cortado. Com isso, algumas pesquisas sobre temperatura, gelo, nuvens e outros fenômenos climáticos chegariam ao fim.
Um dos conselheiros da campanha de Trump, Bob Walker, afirmou ao Guardian que não há necessidade de a Nasa fazer um "monitoramento ambiental politicamente correto". Walker disse que "vemos a Nasa em papel de exploração. A ciência da Terra está melhor colocada em outras agências, em que essa seria a principal missão".
O conselheiro de Trump disse, ainda, que "seria difícil parar todos os programas em curso da Nasa, mas os programas futuros devem, definitivamente, ser acompanhados por outras agências. Acredito que a pesquisa climática é necessária, mas tem sido fortemente politizada, o que tem minado muito do trabalho que os pesquisadores estão fazendo. As decisões de Trump serão baseadas na ciência sólida, não na ciência politizada".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia