Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Internacional

- Publicada em 20 de Novembro de 2016 às 16:49

Angela Merkel anuncia que vai disputar seu quarto mandato

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciou ontem que vai disputar seu quarto mandato nas eleições gerais marcadas para 2017. Ela também tentará a reeleição como presidente de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), na convenção nacional do próximo mês.
A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, anunciou ontem que vai disputar seu quarto mandato nas eleições gerais marcadas para 2017. Ela também tentará a reeleição como presidente de seu partido, a União Democrata Cristã (CDU), na convenção nacional do próximo mês.
Merkel se tornou a primeira chefe de Estado de seu país em 2005. Também foi a primeira liderança da Alemanha reunificada a ter crescido sub o comunismo na extinta Alemanha Oriental. Se vencer as próximas eleições e concluir os quatro anos do próximo mandato, alcançará o recorde de seu mentor, Helmut Kohl, que permaneceu 16 anos no cargo no período pós-guerra.
Apesar de nunca ter sido descrita como visionária ou angariado elogios por discursos inspiradores, Merkel conquistou respeito por ser resistente, perspicaz e obstinada na solução de problemas. Desde que se tornou chanceler, lidou com diversas crises internacionais, como a de débito na zona do euro, entre 2008 e 2009.
A chanceler ainda tem pendentes questões diplomáticas, como o relacionamento da Europa com a Rússia, o futuro da Ucrânia, a situação da Turquia, a guerra em curso na Síria e negociações em torno da saída do Reino Unido da comunidade europeia. Também tem de lidar com a onda populista que se espalha pelos Estados Unidos e Europa. No âmbito doméstico, terá de enfrentar a oposição do partido nacionalista Alternativa para a Alemanha (AfD, na sigla em inglês) à sua reeleição - a sigla fez campanha agressiva contra a decisão de Merkel, no ano passado, de receber aproximadamente 890 mil imigrantes no país.
Conteúdo Publicitário
Leia também
Comentários CORRIGIR TEXTO