Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 17 de novembro de 2016. Atualizado às 12h05.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 17/11 às 13h06min

Nos EUA, Trump desmente rumores sobre caos na equipe de transição de governo

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, e sua equipe estão rechaçando as versões segundo as quais há caos e disputas internas entre os que buscam definir qual será o próximo governo. Na manhã desta quinta-feira, Trump afirmou no Twitter que a equipe de transição está realizando "um trabalho fantástico" e que ela verá hoje muitos candidatos a cargos públicos.
Na quarta-feira, Trump seguiu longe do público, enquanto recebia várias visitas em seu arranha-céus em Nova Iorque, mas utilizou o Twitter para rechaçar as versões segundo as quais há tensão na equipe. O republicano acabou recebendo uma inesperada voz de alento do vice-presidente Joe Biden, que disse que "nenhum governo está preparado desde o primeiro dia".
A equipe de transição afirmou na noite de quarta-feira que enviaria pessoas para contatar as agências federais durante a transição, começando pelos assessores de segurança nacional que trabalhariam com funcionários no Departamento de Estado, no de Justiça, na Defesa e em agências.
A diretora da campanha do republicano, Kellyanne Conway, disse nesta quinta-feira esperar que os anúncios iniciais sobre as designações de membros do gabinete sejam feitos "antes ou depois do Dia de Ação de Graças". "Donald Trump e somente Donald Trump tomará as decisões finais", comentou ela em um programa da rede MSNBC.
Trump planeja se reunir com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Nova York. Além disso, também deve se reunir com nomes importantes do Partido Republicano, como o ex-secretário de Estado Henry Kissinger, o governador da Flórida, Rick Scott, a governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, e o legislador texano Jeb Hensarling.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia