Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de novembro de 2016. Atualizado às 11h33.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

11/11/2016 - 12h30min. Alterada em 11/11 às 12h36min

Donald Trump ataca manifestantes no Twitter, mas depois muda de tom

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, exibiu duas versões diferentes de si mesmo dentro de 10 horas, através de mensagens no Twitter, uma na noite de quinta-feira e outra na sexta-feira, em uma indicação de sua disposição para tanto atacar quanto aplaudir seus críticos.
Os mercados financeiros agiram de forma positiva após a eleição de Trump, em parte porque ele exibiu um comportamento comedido em seu discurso de vitória e sua visita tranquila à Casa Branca, mesmo a família Obama tendo feito uma forte campanha contra ele.
Entretanto, isso pareceu mudar na noite de quinta-feira, quando Trump voltou a um estilo de fala que usou repetidamente durante sua campanha, atacando pessoas que discordam dele. "Acabei de passar por uma eleição presidencial muito aberta e bem sucedida. Agora, manifestantes profissionais, incitados pela mídia, estão protestando. Muito injusto!", escreveu no Twitter.
A postagem marcou a primeira vez que o republicano disse algo parecido com um ataque desde a sua vitória, levando alguns a pensar o que ele pode tentar com aqueles que discordarem de suas posições quando for presidente. Mas então, dez horas depois, Trump revelou um tom bastante diferente ao discutir sobre os manifestantes, que protestam em cidades ao redor dos Estados Unidos contra a sua eleição.
"Amando o fato de que grupos pequenos de manifestantes, durante a noite de ontem, demonstraram paixão pelo nosso grande país. Nós todos vamos se unir e ter orgulho!", afirmou.
Ainda é incerto se Trump continuará usando o Twitter como presidente. Ele usou a rede social frequentemente durante a campanha. Sua equipe controlou suas postagens nos dias anteriores à eleição.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia