Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de novembro de 2016. Atualizado às 02h14.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Meio Ambiente

Notícia da edição impressa de 09/11/2016. Alterada em 08/11 às 19h58min

ONGs criticam apoio à energia térmica no Brasil

A Conferência do Clima em Marrakesh (COP) está apenas no seu segundo dia e o Brasil já está sendo cobrado pela incoerência entre seu discurso internacional e a prática nas políticas internas. Desta vez, a crítica se dirige à possibilidade de o governo subsidiar termelétricas movidas a carvão, caso a Medida Provisória (MP) nº 735 seja sancionada pelo presidente Michel Temer. O texto, que trata privatizações do setor elétrico, embute no artigo 20 um incentivo de R$ 5 bilhões às termelétricas movidas a carvão mineral.
O boletim Eco critica a escolha do Congresso brasileiro, fazendo um apelo pelo veto. "O mundo está assistindo ao que acontece no Brasil e esperando coerência de um país que tem todo o potencial para ser um dos primeiros a alcançar 100% de energias renováveis", cobra o texto, endossado por mais de 100 organizações internacionais sob a sigla CAN (Climate Action Network).
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia