Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de novembro de 2016. Atualizado às 15h58.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Venezuela

02/11/2016 - 16h03min. Alterada em 02/11 às 17h02min

Maduro diz que partido da oposição na Venezuela é organização terrorista

Com a economia do petróleo perto de um colapso, Maduro enfrenta uma crescente agitação civil

Com a economia do petróleo perto de um colapso, Maduro enfrenta uma crescente agitação civil


VENEZUELAN PRESIDENCY / AFP/JC
As negociações entre o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, e a oposição, que pretendem neutralizar a crise política do país, tiveram um mau começo, depois que o líder esquerdista ameaçou mandar para a cadeia rivais que defenderem manifestações de rua.
Maduro, em seu programa semanal de televisão na terça-feira (1), dirigiu seu aviso ao Partido Popular Will, que chamou de organização terrorista, depois de ter dito que se opõe ao plano de aliança da oposição para aliviar a pressão sobre a presidência em favor de conversas mediadas pelo Vaticano e endossadas pelos Estados Unidos.
"Maduro, com sua agressão ao Popular Will e sua tentativa de dividir os democratas da Venezuela, está chutando a mesa de negociações e está zombando das palavras do Papa Francisco", disse nesta terça-feira Jesus Torrealba, chefe da coalizão da oposição. "Um ataque a um de nós é um ataque contra todos nós."
Com a economia da nação rica em petróleo perto de um colapso, Maduro enfrenta uma crescente agitação civil.
A oposição concordou na terça-feira em adiar sua campanha, bem como suas audiências de impeachment e os protestos de âmbito nacional que tinha planejado, para dar chance às negociações nascentes com o governo.
O presidente concentrou seus comentários realizados ontem contra o congressista do Popular Will Freddy Guevara, instando todas as instituições públicas a tomar ações legais e ameaçando-o com prisão, depois de advertir que sua imunidade parlamentar poderia ser despojada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia