Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de novembro de 2016. Atualizado às 13h28.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

28/11/2016 - 14h30min. Alterada em 28/11 às 14h32min

Sindihospa aceita proposta de reajuste para trabalhadores feita pelo TRT

Proposta foi formulada pela direção do TRT em audiência com sindicatos de hospitais e trabalhadores

Proposta foi formulada pela direção do TRT em audiência com sindicatos de hospitais e trabalhadores


Vlademir Canellas/Simers/Divulgação/JC/
O Sindicato dos Hospitais de Porto Alegre (Sindihospa) comunicou, na manhã desta segunda-feira (28 ), que aceitou a proposta de composição de reajuste feita pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) para os trabalhadores do setor. Agora a posição será levada à apreciação da assembleia geral unificada das categorias, prevista para esta terça-feira (29), às 14h, em frente ao Hospital de Clínicas, na Capital.
A proposta feita na audiência de conciliação no TRT, em 18 de novembro, prevê reposição integral da inflação, com reajuste em cinco etapas: 3,5% em setembro e 1,45% em novembro, de 2016; 1% em abril, 1% em maio e 2,23% em junho de 2017.
A direção do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) avaliou que a disposição da entidade patronal em conceder o repasse integral deve ser considerada uma vitória na conjuntura de crise no Estado e País. "Conquistamos a garantia de reposição integral das perdas. Mesmo com parcelamento, é uma vitória importante no atual cenário", destacou o Simers nesta segunda. Antes da mediação do TRT, o sindicato patronal havia oferecido até 5% de correção.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia