Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de novembro de 2016. Atualizado às 09h33.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça

23/11/2016 - 14h28min. Alterada em 24/11 às 10h35min

Julgamento do motorista que atropelou 17 pessoas deve ter dois dias em Porto Alegre

Julgamento do bancário Ricardo José Neis, que atropelou 17 ciclistas em 2011

Julgamento do bancário Ricardo José Neis, que atropelou 17 ciclistas em 2011


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Começou nesta quarta-feira (23) o julgamento do bancário Ricardo Neis, que atropelou 17 ciclistas no bairro Cidade Baixa, em Porto Alegre, em fevereiro de 2011. A audiência aconteceu pela manhã e, após recesso no horário do almoço, segue durante esta tarde. A previsão de duração é de até dois dias, e o motorista irá responder pelos crimes de tentativa de homicídio e lesão corporal.
Visivelmente abatido, o bancário evitou olhar para o público durante o julgamento, no qual estavam presentes alguns dos ciclistas atropelados na época.
O promotor Eugênio Amorin saiu em defesa do movimento Massa Critica. “A decisão nos dará uma ideia, embora o que interessa é que a prova do processo, muito mais do que discussões ideológicas, vai nos dar uma ideia de como nós encaramos a violência no trânsito, o egoísmo, a barbárie a partir de um ato de tanto individualismo quanto o cometido pelo acusado”, afirmou.
O juiz Maurício Ramires falou após a inquisição das vítimas e das testemunhas indicadas pela defesa, afirmando não ter como prever a duração do julgamento. “Estamos prontos para que o julgamento seja interrompido para o pernoite e de que só seja finalizado amanhã, mas não está proibido que o julgamento seja feito todo hoje. Isso vai depender mais do andamento e da rapidez dos atos do que da minha vontade”, disse.
A acusação quer pedir ao menos 25 anos de prisão para Ricardo Neis.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia