Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 18 de novembro de 2016. Atualizado às 07h45.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

GENTE

17/11/2016 - 18h47min. Alterada em 17/11 às 23h05min

Antonio Paz, repórter fotográfico do Jornal do Comércio, morre aos 49 anos

Antonio Paz em uma das gravações do programa Politiquim no estúdio do JC

Antonio Paz em uma das gravações do programa Politiquim no estúdio do JC


Patrícia Comunello/Especial/JC
O fotojornalismo gaúcho perdeu um dos seus profissionais mais dedicados e competentes. Antonio Carlos Barcellos Paz, coordenador de fotografia do Jornal do Comércio, faleceu nesta quinta-feira (17), aos 49 anos, após sofrer uma parada cardíaca. Ele era casado com a jornalista Taís Finger e tinha dois filhos.
Antonio Paz teve um mal súbito na metade da tarde enquanto trabalhava no jornal. Ele foi socorrido por colegas e levado ao Hospital de Pronto Socorro (HPS), onde acabou não resistindo e morreu no fim da tarde. Paz, como era chamado por colegas e amigos, estava coordenando a produção de vídeos no Jornal do Comércio, ampliando a produção multimídia da empresa. 
O repórter fotográfico, que trabalhava desde 2011 no JC, teve passagens pelas redações do Correio do Povo, O Sul e Jornal NH e atuou como fotógrafo do Palácio Piratini no governo de Yeda Crusius (2007-2010). Fez parte ainda da diretoria da Associação dos Repórteres Fotográficos e Cinematográficos do Estado (Arfoc-RS).
Para o editor-chefe do JC, Pedro Maciel, Paz era "um dos profissionais mais competentes, dedicados e solidário com os colegas que a redação tinha o privilégio de contar em seu quadro de colaboradores. Sua falta será muito sentida por todos".
Jeison Rodrigues, editor-chefe do Jornal NH, relembra que, em 1994, quando entrou na redação, tinha supervisão direta do fotojornalista. "Conheci ali um profissional exemplar e dedicado, mas acima de tudo um ser humano fantástico, solidário, empenhado em ajudar os colegas. Não é por acaso que ele tinha paz no nome.'' A ex-governadora Yeda salienta a mesma característica: "Sempre disse que ele combinava muito com o nome, era um indivíduo muito tranquilo, com sorriso pequeno, mesmo na cobertura de tantos compromissos como em um governo de Estado". Yeda também recordou que foi Paz o principal responsável pelas imagens do projeto Rua da Cidadania. "Há registros fotográficos espetaculares no Piratini."
O velório começa à meia-noite na capela B do cemitério São Miguel e Almas. A cremação será nesta sexta-feira, às 10h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Tânia Maria da Silva Magalhães 17/11/2016 18h55min
R.I.P. Antonio Paz