Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de novembro de 2016. Atualizado às 10h29.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

10/11/2016 - 10h45min. Alterada em 10/11 às 11h31min

Pucrs divulga nota e diz que a ocupação de alunos contra PEC dos gastos é pacífica

Cartazes no campus da Pucrs indicam ocupação de alunos de cursos como da Famecos

Cartazes no campus da Pucrs indicam ocupação de alunos de cursos como da Famecos


Carolina Hickmann/Especial/JC
Patrícia Comunello
A Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs) divulgou nota, na manhã desta quinta-feira (10), confirmando que uma sala da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) foi ocupada por alunos na noite dessa quarta-feira (9). Estudantes também estão em barracas no saguão do prédio. Os alunos protestam contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), do governo federal, que impõe teto a gastos. Para eles, haverá impacto em verbas para programas de financiamento estudantil, como o Fies, e Prouni. 
A ocupação ocorreu após votação em assembleia conjunta dos centros acadêmicos dos alunos da Famecos e da Letras. A Pucrs informa que representantes da reitoria "dialogam constantemente com os alunos" e reforça que as aulas são normais. A comissão dos estudantes que negociou na madrugada com a reitoria informou que a intenção não é interromper as atividades. Está sendo feito controle rígido do acesso ao prédio. As pessoas precisam apresentar carteira estudantil e de documento de identificação com foto.
"A ocupação é pacífica, e, segundo diálogo dos alunos com representantes da universidade, ocorre em apoio a movimentos nacionais e não por pautas específicas relativas à Pucrs", frisou a nota oficial. Sobre a informação de que uma aluna foi agredida por seguranças no momento em que houve a ocupação, a instituição esclarece que não houve "ato de agressão deliberada"e que "os ferimentos podem ter ocorrido em meio ao tumulto ocasionado no início da tentativa de ocupação". "A universidade lamenta o ocorrido e acompanha os fatos", concluiu a nota. O Jornal do Comércio registrou a informação a partir de imagens em vídeo e fotos enviadas por estudantes.   
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia