Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 04 de novembro de 2016. Atualizado às 19h48.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Educação

Alterada em 04/11 às 20h51min

'Não há risco de um Enem ser mais difícil que o outro', diz ministro da Educação

Em rápida entrevista à Voz do Brasil, o ministro da Educação, Mendonça Filho, assegurou aos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) que não há risco de a prova deste fim de semana ser mais fácil ou mais difícil do que a que será aplicada em 3 e 4 de dezembro - adiamento estabelecido pelo MEC em função das ocupações dos estudantes secundaristas em locais de prova. "Elas serão absolutamente equivalentes. Tecnicamente, não há nenhuma diferença do ponto de vista de poder de classificação", disse o ministro.
Ele celebrou que 98% dos estudantes poderão fazer a prova normalmente nestes sábado e domingo, ao passo que "apenas" 240 mil ficarão para uma próxima leva. "Eles não terão prejuízo. Tomamos providências para que pudéssemos assegurar a todos o acesso à universidade com base nos mesmos mecanismos", afirmou Mendonça, citando que, independentemente da data de realização da prova, está mantido para todos o mesmo cronograma de acesso ao Sisu e a programas como o ProUni e o Fies.
Sobre a equivalência entre as provas, Mendonça Filho explicou durante a entrevista que a elaboração de qualquer versão do Enem obedece a uma teoria técnica que assegura a mesma profundidade de conhecimento, sem distinção de grau de dificuldade, "assegurando as mesmas condições de competitividade".
Durante a entrevista, criticou ainda a "desinformação" sobre a PEC do Teto recentemente aprovada na Câmara dos Deputados. "A PEC veio para reequilibrar o orçamento público e devolver a capacidade de investimentos em educação e saúde", afirmou.
Por fim, recomendou que todos os candidatos que farão prova neste fim de semana "cheguem a tempo, com calma e tranquilidade, levando todos os materiais necessários, listados no site do MEC". Pelo horário oficial de Brasília, os portões abrem às 12h e fecham às 13h, para que as provas se iniciem às 13h30.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia