Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de dezembro de 2016. Atualizado às 14h29.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

inter

30/11/2016 - 19h29min. Alterada em 30/11 às 19h29min

Dirigente do Inter pede desculpas após reclamar de adiamento: 'Infelicidade'

A revolta imediata gerada por sua declaração sobre o adiamento da última rodada do Campeonato Brasileiro fez com que Fernando Carvalho se manifestasse rapidamente. Na tarde desta quarta-feira, o ex-presidente e atual vice de futebol do Internacional admitiu a "infelicidade" pelo posicionamento divulgado horas mais cedo.
Fernando Carvalho havia se manifestado contra o adiamento da última rodada, em respeito ao luto decretado pela morte de 71 pessoas na Colômbia, boa parte delas integrantes da comissão técnica da Chapecoense. Com o Inter desesperado na luta contra o rebaixamento, considerou que a transferência da partida contra o Fluminense para o dia 11 de dezembro era "prejudicial" à "tragédia pessoal" do time gaúcho.
Imediatamente as declarações do dirigente geraram revolta nas redes sociais, e ele não demorou a se retratar. "Venho por meio desta pedir desculpas pelas palavras equivocadas utilizadas na entrevista", exclamou em nota. "Nada se compara com a fatalidade que vitimou nossos colegas desportistas e nos feriu a todos. Reitero desejo de força às famílias e amigos das vítimas e a toda comunidade de Chapecó."
Carvalho foi bastante criticado por ter, supostamente, comparado o possível rebaixamento do Inter à tragédia ocorrida nas cercanias do aeroporto de Medellín, onde a Chapecoense disputaria a primeira partida da decisão da Copa Sul-Americana com o Atlético Nacional, que além de quase toda a delegação do clube vitimou profissionais da imprensa brasileira.
"Em nenhum momento foi minha intenção comparar a tragédia arrasadora que aconteceu com a Chapecoense, instituição pela qual tenho imensa estima, com a situação do Internacional do Campeonato Brasileiro. Certamente foi infelicidade minha a escolha da palavra 'tragédia', nesse momento, ao me referir ao nosso caso", alegou o dirigente.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 01/12/2016 15h01min
LIÇÕES QUE A DUPLA GRENAL PRECISA REFLETIR !!!nPoderia ser uma GRENAL numa final de uma partida de futebol, mas um dos times foi fazer a sua concentração fora de Porto Alegre para ficar mais focada, mas na volta, o avião caiu por falta de gasolina.nPrecisei criar esta situação para saber o que a DUPLA GRENAL faria caso estivesse passando por nesta situação tão sensível para o mundo todo.nNo caso do Internacional, será que abriria mão do título para dar a TAÇA para o Grêmio, já que há mais de 15 anos não conquista nada?nE caso fosse o Grêmio, será que por estar com muita sede de conquistar um título, aceitaria dar de mãos beijadas a TAÇA para co-irmão e enaltecer com muitas honras o seu gesto?nAcredito que pelos os seus dirigentes e jogadores eles fariam com muito amor no coração, já os fanáticos torcedores, com certeza nem chorariam pela a morte do seu adversário direto de dentro do campo.nAbs. Dorian Bueno Google+, POA, 01.12.2016 n nnn