Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 25 de novembro de 2016. Atualizado às 09h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Construção Civil

25/11/2016 - 09h30min. Alterada em 25/11 às 10h09min

Custo da Construção desacelera em Porto Alegre e varia 1,06%

O item relativo a Materiais e Equipamentos registrou taxa de -0,13%

O item relativo a Materiais e Equipamentos registrou taxa de -0,13%


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
O Índice Nacional de Custo da Construção - Mercado (INCC-M) desacelerou em Porto Alegre em novembro ante outubro de 1,21% para 1,06%, divulgou nesta quinta-feira (25), a Fundação Getulio Vargas (FGV).
Das sete capitais analisadas, além de Porto Alegre, outras quatro registraram desaceleração em suas taxas de variação em novembro ante outubro: Brasília (0,04% para 0%), Belo Horizonte (-0,01% para -0,05%), Rio de Janeiro (-0,07% para -0,18%) e São Paulo (0,12% para 0,07%). Em contrapartida, Salvador (-0,03% para 0,02%) e Recife (-0,11% para 0,80%) registraram aceleração nas taxas.
No geral, o INCC-M ficou em 0,17% em novembro, mesma variação registrada em outubro.
O grupo Materiais, Equipamentos e Serviços registrou variação negativa de 0,05% neste mês, após o avanço de 0,03% apurado na leitura de outubro. Dentro deste grupo, o item relativo a Materiais e Equipamentos registrou taxa de -0,13%. No mês anterior essa taxa havia sido de 0,02%. A parcela relativa a serviços passou de uma taxa de 0,07% em outubro para 0,26% em novembro.
O índice referente à mão-de-obra registrou variação de 0,36%, por influência da primeira parcela do reajuste salarial em Recife e dos reajustes salariais de Porto Alegre e São Paulo. No mês anterior, havia sido 0,30%.
Com informações da Agência Estado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia