Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 24 de novembro de 2016. Atualizado às 11h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura

24/11/2016 - 12h13min. Alterada em 24/11 às 12h13min

Endividamento das famílias cai a 42,8% em setembro, mostra BC

O endividamento das famílias brasileiras com o sistema financeiro caiu de 43,1% em agosto para 42,8% em setembro, conforme dados divulgados nesta quinta-feira (24), pelo Banco Central. A instituição começou a fazer o levantamento em janeiro de 2005 e o retrato sobre o nível de dívidas brasileiras passou a ser incorporado na nota de crédito pelo BC em agosto de 2015.
O cálculo do BC leva em conta o total das dívidas dividido pela renda no período de 12 meses e incorpora os dados da Pesquisa Nacional de Amostragem Domiciliar (PNAD) contínua e da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), ambas do IBGE. Se forem descontadas as dívidas imobiliárias, o endividamento apresentou recuo em setembro, ficando em 24,2% da renda anual. Em agosto, estava em 24,4%.
Ainda segundo o BC, o comprometimento de renda das famílias com o Sistema Financeiro Nacional (SFN) em setembro ficou em 22,2%, ligeiramente acima dos 22,1% observados em agosto. Descontados os empréstimos imobiliários, o comprometimento ficou em 19,7% da renda, ligeiramente acima dos 19,6% de agosto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia