Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 23 de novembro de 2016. Atualizado às 07h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Bolsas da Ásia e do Pacífico fecham sem direção única

As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam sem direção única nesta quarta-feira (23), mas Sydney e outros mercados da região foram mais uma vez influenciados pelo bom desempenho das ações em Nova Iorque.

Ontem, os principais índices acionários de Wall Street encerraram o pregão em níveis recordes pelo segundo dia consecutivo, com o Dow Jones Industrial Average ultrapassando a barreira dos 19 mil pontos pela primeira vez. Expectativas de que o futuro governo do presidente eleito dos EUA, Donald Trump, implemente uma política fiscal expansionista têm ajudado a impulsionar as bolsas em Nova Ioque.

Na Oceania, a bolsa australiana subiu 1,3%, a 5.484,40 pontos, com o índice S&P/ASX 200 atingindo o maior nível desde o fim de agosto. As mineradoras foram destaque em Sydney, reagindo a um salto de 5,7% nos preços do minério de ferro na terça-feira. BHP Billiton e Rio Tinto, que são diversificadas, avançaram 2,7% e 2,5%, respectivamente, enquanto a produtora de minério Fortescue teve valorização de 2,9%.

Entre os mercados asiáticos, o índice Taiex registrou ganho de 0,49% em Taiwan, a 9.178,23 pontos, enquanto o sul-coreano Kospi subiu 0,23% em Seul, a 1.987,95 pontos, e o filipino PSEi avançou 0,50%, a 6.836,64 pontos. Já a Bolsa de Tóquio não operou, devido a um feriado no Japão.

Na China continental, por outro lado, os mercados terminaram a sessão em leve baixa, apagando ganhos de mais cedo. O Xangai Composto recuou 0,22%, a 3.241,14 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto caiu 0,39%, a 2.129,51 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng fechou praticamente estável, com declínio marginal de 0,01%, a 22.676,69 pontos.

Várias moedas asiáticas mantiveram a recente fraqueza ante o dólar, tendência vista desde a inesperada vitória de Trump na eleição presidencial americana, sugerindo que investidores estrangeiros continuam transferindo recursos da região para ativos dos EUA. Durante a madrugada, a divisa dos EUA ganhou terreno ante o ringgit da Malásia, o dong do Vietnã, a rupia da Indonésia, o won sul-coreano, o dólar de Taiwan e o peso filipino.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia