Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de novembro de 2016. Atualizado às 15h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Energia

Alterada em 22/11 às 16h08min

Comerc Energia planeja crescimento de 20% no faturamento em 2017

A gestora de energia Comerc Energia planeja crescer em 20% seu faturamento em 2017, que atualmente é de R$ 1,3 bilhão. O movimento virá do aumento no número de clientes e do maior volume de energia negociada, com projeção de incremento de 35% e 20%, especificamente. Mas a empresa também planeja avançar em novos negócios, como projetos de eficiência energética.
Em um ano de forte movimento de migrações de consumidores para o mercado livre, a empresa indicou que deve anotar um crescimento de 125% no número de unidades de consumo sob sua gestão em 2016, para 1.350. Já o número de empresas em carteira deve somar 750, alta de 150% em relação a 2015. A carga de energia sob gestão deve alcançar 2.850 MW médios, 21% superior à observada em 2015. Com isso, a Comerc diz manter a liderança no mercado livre, com 15% de participação no range de energia sob gestão. "A intenção é aumentar um pouco mais esse número", disse o presidente da Comerc, Cristopher Vlavianos.
Ele salientou que no ano passado se abriu uma janela de oportunidade para a migração de consumidores para o mercado livre, com o forte aumento das tarifas no último ano e pela retração do consumo. A mudança no cenário destravou as migrações, lembrou Vlavianos, comentando que as adesões ficaram represadas desde 2012, quando os preços de energia no mercado cativo foram reduzidos favorecidos pela Medida Provisória 579.
Conforme dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) citados pela Comerc, até o fim do ano o País deverá contar com 4.367 consumidores livres e especiais, que possuem demanda contratada entre 500 KW e 3 mil KW, sendo que a maior expansão foi observada em 2016 no grupo especial, que somará 3.525 até o fim de ano, alta de 193%. Somente a Comerc é responsável pela migração de 505 especiais. "Estima-se um potencial de 20 mil consumidores especiais, mas obviamente não todos migrarão, ou migrarão ao longo do tempo", disse.
A Comerc também divulgou que obteve uma economia de R$ 1,2 bilhão na conta das 1.078 unidades consumidoras sob sua gestão em 2016. O montante corresponde a uma redução de 22,55% em relação às tarifas do mercado cativo. O montante de economia foi inferior aos 32,1% ou R$ 1,4 bilhão obtidos em 2015. Vlavianos explicou que o porcentual menor de economia está relacionado às tarifas mais altas no mercado cativo no ano passado, quando também foram acionadas as bandeiras tarifárias.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia