Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de novembro de 2016. Atualizado às 08h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Petróleo opera em alta com expectativa de acordo na Opep para cortar produção

Os contratos futuros de petróleo operam em território positivo nesta terça-feira (22), com investidores apostando que os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) chegarão a um acordo para cortar a produção da commodity. O dólar mais fraco também colabora, já que com isso o petróleo fica mais barato para os detentores de outras moedas.

Às 9h43min (de Brasília), o petróleo Brent para janeiro avançava 0,45%, a US$ 49,12 o barril, na ICE, e o WTI para janeiro subia 0,39%, a US$ 48,43 o barril.

O sentimento positivo gerado antes da reunião da Opep do dia 30 em Viena aumentou após um delegado da Nigéria dizer que um acordo pode ser fechado já nesta terça-feira. Segundo a fonte, ainda há pontos pendentes, como a discrepância entre os dados independentes de produção usados pelo grupo e os levantamentos dos próprios países e o plano do Irã de elevar a produção. Muitos observadores do mercado agora acreditam que haverá um acordo, mas alguns não dão isso como certo.

O analista Dominick Chirichella, do Energy Management Institute, acredita que há 50% de chance de que a Opep consiga qualquer corte significativo na produção. Segundo ele, apesar de muitas declarações, não há informação nova no mercado desde a semana passada.

O Commerzbank prevê que haverá cortes de produção da Arábia Saudita e de seus aliados no Golfo Pérsico, com a condição de que os demais membros não elevem a produção. Para o banco alemão, apenas o Iraque pode elevar a oferta no contexto atual, o que pode facilitar um acordo. O Commerzbank advertiu, contudo, que deve haver cautela. "Nenhum acordo revolucionário sobre controles ou cortes na produção deve ser esperado na reunião da Opep", diz o banco.

O preço do petróleo é também beneficiado por fortes tempestades na Europa, que interromperam boa parte da geração de energia eólica no continente. A Marex Spectron diz que isso deve elevar o consumo da commodity até que o tempo melhore.

Os investidores também aguardam a publicação do relatório semanal do American Petroleum Institute (API), às 19h30min (de Brasília). Nas últimas semanas, houve grandes aumentos nos estoques dos EUA e, caso isso se repita, os contratos podem ficar pressionados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia